Evidentia da semana #402019

Destaque

Podcast – temos 26 episódios de discussão de evidência em tópicos interessantes com alguma dose de (infeliz) humor.

Notas de Evidentia – os nossos colaboradores Catarina Santos e Samuel Gomes analisaram dois artigos. A não perder.
Será que existe associação entre a saúde cardiovascular ideal aos 50 anos e a incidência de demência? Um estudo de coorte com 25 anos de Follow-up
Existe associação entre o consumo de bebidas açucaradas e o risco de cancro em adultos?

Destaque nesta edição para as recomendações GRADE sobre consumo de carnes vermelhas e outra sobre o rastreio do cancro colon e recto. Recuperamos um artigo essencial de Ioannidis para entender a evidência na nutrição e damos a conhecer um novo antibiótico para pneumonias. Muitos ensaios clínicos esta semana. Vamos lá, muito para discutir certamente!

Recomendações elaboradas sistemáticamente (revisões sistemáticas incluídas)

Consumo de carnes vermelhas é mau para a saúde?

novos estudos e uma guideline. Conclusão geral: EVIDENCE CAOS! a prova científica à volta desta questão é muito má! Abro sequência: #evidencecaos
1 guideline:
Consórcio internacional NutriRECS emite guideline na qual recomenda que as pessoas mantenham os consumos que têm habitualmente porque a evidência não permite emitir parecer contra ou a favor. https://t.co/gNNRVq28ez
– As votações finais da recomendação foram problemáticas. Alguns autores defendiam diferentes interpretações dos dados >> problema dos estudos observacionais: – confundimento, confundimento, confundimento, – viés de memória – tortura de dados para que cantem o que quisermos

3 revisões sistemáticas que sustentam a guideline
Consumo de carne vermelha e processada e risco de mortalidade por todas as causas e resultados cardiometabólicos: rev. sistemática e metanálise de estudos de coorte https://t.co/F0eUYaFgu0
Padrões de consumo de carne vermelha e processada e risco de eventos cardiometabólicos e cancro: rev. sistemática de estudos observacionais de novo, qualidade da evidência muito baixa aponta para menor risco em padrões com menos consumo de carne https://t.co/swr9HoEw3n
Efeito de elevada vs baixa ingestão de carne vermelha em resultados cardiometabólicos e oncológicos: revisão sistemática de ensaios clínicos. menor consumo parece ser melhor mas a qualidade da evidência é muito baixa https://t.co/mxpcpQkWc8

Editorial e opinião:
Editorial do Annals of Internal Medicine a propósito disto tudo https://t.co/Asgh1GWqnA
notícia do nytimes a lembrar que o assunto das carnes vermelhas e clima é outra história https://t.co/rmFKU0dfT0
– Por fim, recupero este artigo do fantástico Ioannidis resume tudo. Basicamente, parem de confundir as pessoas com estudos observacionais e títulos sensacionalistas que alteram dramaticamente a relação das pessoas com a comida. https://t.co/9Vxek1eY5f

Rastreio do cancro do colo-rectal 

O BMJ publica uma série de recursos importantes. Abro nova sequência:

#guideline https://t.co/CDpmfk3dKM 

#artigo original – um estudo de modelagem no qual a partir do risco basal de ter cancro colo-rectal se calculam benefícios e malefícios das várias estratégias de rastreio https://t.co/AfoHkaL7U6 – Concluem que todas as estratégias de rastreio podem reduzir a mortalidade por cancro colo-rectal de forma semelhante. Malefícios também foram semelhantes

#Editorial – Então o que fazer? E é aqui que a coisa muda radicalmente (ver imagem). Em vez da habitual receita de “>50 anos levas com rastreio” recomendam decisões individualizadas baseadas no risco basal e partilhadas com os doentes – https://t.co/0r72T9X2ID

Os autores sugerem que “a maioria dos indivíduos informados com um risco a 15 anos de cancro colorretal de 3% ou mais provavelmente escolherá a rastreio, e a maioria dos indivíduos com risco abaixo de 3% provavelmente recusa rastreio.” Decisão informada e partilhada é o caminho

Por fim, a ferramenta que eles recomendam para calcular o risco e entender a evidência, a @theMAGICapp – que para quem não conhece é um projecto fantástico! – https://t.co/82SqZ4unwn


Hiperactividade e deficit de atenção: actualização da guideline da Academia Americana e Pediatria 
https://t.co/VKSBqCCao6 #recomendações

Estudos Primários

CAROLINA diz que no tratamento de diabetes tipo 2, linagliptina é não inferior a glimepirida no que a eventos cardiovasculares major diz respeito. Este terá um episódio do podcast num futuro breve. 
https://t.co/j1LCJi7R3W #experimental

Pneumonia: lefamulin não inferior a moxifloxacino na pneumonia adquirida na comunidade. Novo antibiótico que funciona. Muito importante. 
https://t.co/eJXFNXqItK #experimental

Fractura colo fémur: prótese total da anca vs hemiartroplastia. Diferenças na função e qualidade de vida clinicamente insignificantes entre ambas. 
https://t.co/Yzvdk2Wmox #experimental

Doença coronária esquerda: intervenção coronária percutanea vs bypass. Outcomes a 5 anos. Sem diferença na eficácia. 
https://t.co/zQH49GXsVD #experimental

Futebol comunitário para homens com cancro da próstata. Grupo que jogava à bola teve melhor saúde mental e perdeu mais kgs. No resto não houve diferença mas parece-me que os benefícios ultrapassam largamente os riscos 
https://t.co/ngd3MhMw07 #experimental

Diabetes e obesidade: doentes que fizeram cirurgia bariátrica tiveram menos risco de eventos cardiovasculares major. 
https://t.co/2zEijqoFPj #experimental

Diabetes + doença coronária estável + cateterismo prévio: ticagrelor + aspirina reduziu morte cardiovascular, enfartes do miocárdio e AVC à custa de mais hemorragias major. Equilibrio manhoso 
https://t.co/zroRadd526 #experimental

Cancro da mama. Decisões informadas? Mesmo com testes prévios, folhetos de informação a mulheres sobre cancro da mama são demasiado complexos. Caso inglês. 
https://t.co/pSHq71HiqL #qualitativo

No NEJM uma reflexão relevante sobre os rastreios oncológicos. Frase para moldura: “Sobrediagnóstico não é um acto propositado, é um infeliz efeito adverso da nossa exuberânte irracionalidade para detecção precoce [de cancros]”. https://t.co/zMtCYFEoSP #opinião

A tirania das guidelines e da medicina algorítmica 
https://t.co/IGXIATMHdy #opinião

O uso das redes sociais para manipular a opinião pública, relatório da universidade de Oxford. 
https://t.co/ZKjjmfXy0B #saúdepública


Queres saber qual a base teórica para organizarmos a literatura desta maneira? Escrevemos um artigo sobre isto. [download pdf aqui]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a website or blog at WordPress.com

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: