Hospitalização domiciliária vs. Internamento hospitalar – menor custo? – Notas de Evidentia #082020

Por António M. Carvalho

Pergunta Clínica

O custo directo da hospitalização domiciliária, em adultos com doença aguda admitidos num serviço de urgência, é inferior ao de internamento em contexto hospitalar?

Veredicto Evidentia Médica

O tratamento em contexto domiciliário de doença aguda em adultos com critérios para cuidados hospitalares, pode ser uma mais valia para os serviços, estando associado a menores custos directos, maior satisfação dos utentes, aumento da mobilidade (promovendo menos descondicionamento físico e possivelmente menor probabilidade de ocorrência de síndrome pós-hospitalar). Neste estudo, a redução do estado funcional ou a duração do internamento foi equiparável mas associado a menores taxas de readmissão aos 30 dias. Contudo, os resultados obtidos poderão ser influenciados pela participação de apenas 2 locais e 5 médicos prestadores com preparação e experiência adequadas para cuidados domiciliários; a pequena dimensão da amostra não permitiu conclusões parcelares por tipo de doença.

Qual a relevância dessa pergunta?

O tratamento de pessoas com doença aguda com necessidade de cuidados de nível hospitalar poderá ser menos oneroso, estar associado a menor procura de cuidados de saúde, readmissões, e melhoria da satisfação com a estadia pelos utentes.

Quem financiou?

Partners Health Care Center for Population Health e financiamento interno.

Que tipo de pergunta faz este estudo?

Tratamento.

Considerações metodológicas

Foi feito um ensaio clínico, controlado e aleatorizado, não-cego, com 2 grupos, hospitalização domiciliária (intervenção) e internamento hospitalar (controlo). Participaram apenas 2 locais e 5 médicos prestadores com preparação e experiência adequadas para cuidados domiciliários. O estudo foi interrompido precocemente (após inclusão de 91 doentes no estudo) devido a necessidades locais de aumentar a hospitalização domiciliária após terem sido obtidos resultados positivos. A maioria dos doentes não aceitou participar no estudo (incluídos 91 de um total de 248)

Quais são os resultados?

Redução Risco Relativo 38% (IC 24-49%) – diferença da média de custos excluindo trabalho médico, entre hospitalização domiciliária e internamento em contexto hospitalar. Nota: não foi fornecido o RA ou Diferença de risco

Por outro lado, verificou-se decréscimo equiparável de estado funcional, ou por incapacidade de detecção da ferramenta utilizada, pela menor exposição a apoio de fisioterapia ou terapia ocupacional, mesmo que contrariado pelo aumento da actividade física. Verificou-se também proporção semelhante de síndrome confusional aguda.

Como posso aplicar os resultados aos meus doentes?

Os resultados obtidos (e a sua magnitude), tal como assinalado pelos autores, poderão ser influenciados pela participação de apenas 2 locais e 5 médicos prestadores com preparação e experiência adequadas para cuidados domiciliários; a pequena dimensão da amostra não permitiu conclusões parcelares por tipo de doença.

Referência Bibliográfica

Levine, David M., et al. «Hospital-Level Care at Home for Acutely Ill Adults: A Randomized Controlled Trial». Annals of Internal Medicine, vol. 172, n. 2, Janeiro de 2020, p. 77. DOI.org (Crossref), doi:10.7326/M19-0600

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31842232

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *