Satisfação na utilização de registos electrónicos de saúde e burnout médico: Haverá relação? – Notas de Evidentia #052020

Por Mónica Fonseca

Pergunta Clínica

Qual a associação entre o grau de satisfação na utilização de registos eletrónicos de saúde e burnout entre médicos dos EUA?

Veredicto Evidentia Médica

O grau de satisfação dos médicos americanos com os sistemas de registo informáticos atuais é notavelmente baixo. Este estudo sugere a existência de uma relação entre os níveis baixos de satisfação dos médicos na utilização de registos eletrónicos de saúde e o aumento do risco de burnout.

Qual a relevância dessa pergunta?

O sistema de saúde americano sofreu uma rápida computorização na última década. O investimento financeiro na evolução tecnológica ao nível dos registos de saúde eletrónicos foi grande, com a intenção de melhorar a qualidade dos cuidados de saúde e a sua eficácia. Paralelamente ao aumento da utilização do computador, também surgiu mais insatisfação e burnout entre os profissionais médicos. Estima-se que os clínicos gastem 1 a 2 horas em registos electrónicos e tarefas burocráticas por cada hora gasta no contacto direto (cara-a-cara) com o doente, além de 1 a 2 horas do seu tempo pessoal em atividades extra relacionadas com esses mesmos registos. Coloca-se a hipótese que o grau de usabilidade de plataformas eletrónicas poderá estar relacionado com o nível de instatisfação dos clínicos.

Quem financiou?

Stanford Medicine WellMD Center, American Medical Association e Mayo Clinic Department of Medicine Program on Physician Well-being.

Que tipo de pergunta faz este estudo?

Pergunta epidemiológica descritiva

Considerações metodológicas

Foi realizado um estudo transversal com médicos americanos de diferentes especialidades. Foram convidados a participar 30 456 médicos, dos quais 5197 aceitaram participar. Destes, 25% foram aleatoriamente selecionados para responder a um questionário para avaliação do grau de satisfação/usabilidade dos registos de saúde electrónicos (RSE). A população respondedora apresenta características demográficas semelhantes à população médica americana avaliada em 2017. A satisfação/usabilidade do RSE foi avaliada usando a Escala de Usabilidade do Sistema (SUS) composta por 10 items O score do SUS varia de 0-100, sendo o valor máximo indicativo de maior usabilidade. O burnout foi medido usando o Maslach Burnout Inventory, um questionário validado considerado como ferramenta padrão de critério para esta avaliação. 

Existem sérias limitações no estabelecimento de uma correlação entre as variáveis atendendo ao desenho do estudo.

Quais são os resultados?

A média ± DP do score do SUS foi de 45,9 ± 21,9. Uma pontuação de 45,9 está entre os 9% inferiores nos estudos anteriores e foi categorizada na faixa “não aceitável”. Na análise multivariada, ajustada para diferentes parâmetros (idade, sexo, especialidade, número de horas de trabalho/trabalho de urgência, etc), a usabilidade do RSE classificada pelo médico foi associada de forma independente à probabilidade de burnout, com cada 1 ponto de pontuação SUS mais favorável associado a uma probabilidade 3% menor de burnout (odds ratio, 0,97; IC95%, 0,97-0,98) ; P <0,001).

O grau de satisfação dos médicos americanos com os sistemas de registo informáticos atuais é notavelmente baixo. Este estudo sugere a existência de uma relação entre os níveis de satisfação e o risco de burnout. Perante isto, os autores concluem que uma melhoria dos referidos sistemas informáticos poderá ser uma abordagem importante para ajudar a reduzir o desgaste dos profissionais de saúde das diferentes especialidades.

Como posso aplicar os resultados aos meus doentes?

Em Portugal, os médicos também são confrontados com a necessidade de utilizar sistemas de registo informático diariamente, muitas vezes através de várias plataformas diferentes. A sugestão de uma relação da satisfação na usabilidade deste tipo de instrumentos e o risco de burnout releva a importância do tema e atenta para a necessidade de realizar estudos de maior qualidade para avaliar este assunto. Ainda assim, esta informação permite concluir que uma melhoria dos referidos sistemas informáticos poderá ser uma abordagem importante e urgente, no sentido de aumentar a segurança do paciente e reduzir o desgaste e exaustão dos profissionais de saúde das diferentes especialidades. 

Referências Bibliográficas

Melnick, Edward R., et al. «The Association Between Perceived Electronic Health Record Usability and Professional Burnout Among US Physicians». Mayo Clinic Proceedings, vol. 0, n. 0, Novembro de 2019.

https://www.mayoclinicproceedings.org/article/S0025-6196(19)30836-5/fulltext

1 comentário “Satisfação na utilização de registos electrónicos de saúde e burnout médico: Haverá relação? – Notas de Evidentia #052020

  1. Seria interessante visitar os estudos de Liliana Laranjo, MD, PhD e ver que o que ela e a sua equipa já descobriram se correlaciona eventualmente com isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *